terça-feira, 2 de outubro de 2012

Os 5 sentidos humanos parte 1

                                                       1°Visão

O sentido da visão é composto pelo olho ( ires, pupila, córnea, humor aquoso, esclerótica, retina, cristalino, corpo vítreo, coroide, fóvea central e nervo óptico), córnea, cones (responsável por capitar as cores), bastonetes (  e celebro. A visão é um sentido muito importante para nós pois ela nos permite a enxergar as maravilhas do mundo e para animais mais dotados permite ver a percepção do mundo.
Como você pôde notar, o olho humano apresenta formato esférico, constituindo o bulbo doolho (globo ocular). Essa estrutura é composta por diferentes camadas de tecidos dispostas deforma concêntrica.
A esclerótica, camada conhecida como o branco dos olhos e formada por um tecido resistente,confere proteção e sustentação ao olho. Na esclerótica, estão inseridos os mijsculos quefazem o olho se mover. Na parte da frente e central do olho, encontra-se a córnea, uma camadaexterna transparente. Se algo compromete a transparência da córnea, há comprometimento davisão, sendo o tratamento, muitas vezes, cirúrgico.abaixo da esclerótica, locallza-se a coroide. Essa camada é nca em vasos sanguíneos quenutrem as diversas partes do olho.Existe, nos olhos, uma estrutura que atua como lente. Trata-se do cristalino. Ele se localizana região anterior do olho e, por intermédio de músculos, altera seu formato, tornando-se maisespesso ou delgado e permitindo, assim, a focalização de objetos.Já a parte colorida do olho é denominada íris e sua coloração se deve à presença de pigmentos que, conforme a quantidade, resultam na grande variação das cores de olhos que a pessoas apresentam. A íris é composta por discos musculares e, no centro dela, encontra-se um orifício denominado pupila. A abertura e o fechamento da pupila controlam a quantidade de luz que entra nos olhos.Quando há pouca luz no ambiente, a pupila se dilata; no caso de haver muita luz no ambiente, a pupila se contrai.Entre a córnea e o cristalino, há um líquido chamado humor aquoso. A deficiência na produção desse líquido gera o glaucoma, doença que pode levar à cegueira.
Atrás do cristalino, encontra-se o corpo vítreo, o qual ocupa a maior porção do bulbo doolho (globo ocular). Tanto o humor vítreo quanto o humor aquoso atuam como lentes líquidas.A retina, camada mais interna, é a estrutura do olho que recebe o estímulo luminoso e otransforma em mensagem nervosa, a fim de que seja interpretado pelo cérebro.Para realizar esse trabalho, há dois tipos de células especiais na retina: os cones e osbastonetes. Os bastonetes são células especializadas em captar a imagem em lugares pouco iluminados, sem distinção de cores. Já os cones são responsáveis pela visão colorida, típica de 
locais bem iluminados. Existem três tipos de cones em nossos olhos (responsáveis pela captação das três cores primárias) e é a combinação dos estímulos dados por esses três tipos que nos permite ver a infinidade de cores presentes no ambiente. Os detalhes da imagem serão
formados em uma região da retina, rica em cones,
chamada fóvea central. Curiosamente, a
imagem formada na retina encontra-se invertida
e somente enxergamos corretamente porque o
cérebro faz a inversão.
Nossos olhos ainda contam com um sistema especial de proteção. Externamente, percebemos os cílios, supercílios (sobrancelhas) e pálpebras. Internamente, há a produção das lágrimas pela glândula lacrimal. A lágrima é formada por três componentes: uma camada de
muco, que aprisiona partículas de poeira; uma camada líquida, que fornece sal, proteínas e
outros componentes importantes para a saúde da córnea; e uma camada gordurosa, mais externa,
secretada pelas glândulas de Meibomius que ajuda a prevenir a evaporação da lágrima
na superfície do olho.


Depois de produzidas, as lágrimas se espalham pelo olho cada vez que piscamos. O excesso 
é empurrado, com poeira e outros resíduos presentes, para o canto do olho. À noite, nossas 
glândulas lacrimais reduzem a produção da parte aquosa da lágrima, mas continuam a produzir 
muco e gordura. O ressecamento do resíduo lacrimal dá origem à remela ou ramela.


 


Depois de produzidas, as lágrimas se espalham pelo olho cada vez que piscamos. O excesso 
é empurrado, com poeira e outros resíduos presentes, para o canto do olho. À noite, nossas 
glândulas lacrimais reduzem a produção da parte aquosa da lágrima, mas continuam a produzir 
muco e gordura. O ressecamento do resíduo lacrimal dá origem à remela ou ramela.












Nenhum comentário:

Postar um comentário